Fecomercio

Empreendedorismo na Biblioteconomia

Por Ryanne Lima

Por Anderson Cleuber em 07/04/2021 às 13:20:16

Foto: Arquivo

Os bibliotecários apesar de serem definidos por lei como Profissionais Liberais não costumam ter este reconhecimento.

A Biblioteconomia tem um forte viés social e grande parte da classe acha que Empreendedorismo é algo contra os princípios da profissão, mas mesmo uma Biblioteca Comunitária, que atenda pessoas carentes, precisa de receita para arcar com os seus custos, e quando não se tem o dinheiro público garantido é preciso saber como captar e gerir recursos.

Empreendedorismo não se resume a abrir uma empresa e buscar o lucro.

Empreendedorismo é saber detectar um nicho de mercado e desenvolver produtos e serviços, uma empresa ou o profissional liberal precisa saber como precificar e tornar viável o seu empreendimento.

A atuação do Bibliotecário como profissional liberal começa por saber determinar quais são as suas habilidades e conhecimentos e a partir disto determinar qual nicho de mercado, que tipo de empresa ou pessoas físicas precisa do seu trabalho.

A maioria das ofertas de empregos está nas bibliotecas escolares, universitárias e publicas, pois os empregadores tem dificuldade em entender que a atuação do bibliotecário vai além do tradicional livro/biblioteca.

Esta mudança de perfil e de percepção do mercado depende principalmente de nós mesmos.

É sabido que a maioria dos profissionais da preferência ao concurso público ou ao emprego de carteira assinada e nada tenho contra este anseio, pois temos o direito de procurar a estabilidade e a garantia da renda certa no final do mês.

É preciso estar presentes em eventos e espaços fora da nossa área, à divulgação entre nós é importante, mas só trará mudanças quando o "Biblio o que?" não mais acontecer.

O empreendedorismo começa pela identificação de oportunidades de mercado.

Existem vários segmentos que já empregam bibliotecários, mas se houvesse uma melhor divulgação da profissão as oportunidades de trabalho aumentariam como, por exemplo: escritórios de direito, engenharia, cartórios, imobiliária, etc.

Quando se identifica uma oportunidade é preciso desenvolver formas de divulgação eficientes que permitam o interesse do cliente de forma que ele entre em contato e solicite um orçamento.

É importante que os bibliotecários aprendam a trabalhar como categoria, estabelecendo tabela de horários profissionais por região, por cidade.

Quem trabalha no mesmo segmento não é um concorrente, é um aliado.

O sucesso de um bibliotecário empreendedor reflete na melhora da imagem da profissão.

O caminho para desenvolver o empreendedorismo na biblioteconomia é o fortalecimento das Associações e entidades de classe, realizando eventos para o mercado, divulgando nossas ações e serviços, organizando cursos para os profissionais e mostrando que podemos atuar em qualquer segmento onde seja preciso organizar, armazenar e disseminar informação, independente do suporte físico ou eletrônico.


Ryanne Silva Lima

CRB 11/1038

Graduação em Biblioteconomia – UFAM

MBA em Gestão da Informação – UniLeya

Fonte: Ryanne Silva Lima

Carreira Brilhante
UNIODONTO